Já vamos começar a matéria tentando tranquilizar você com a seguinte informação; Se você não for cientista nuclear, espião do governo – ou que trabalhe em segurança governamental – ou advogado dos Direitos Humanos, então você NÃO foi afetado.

Este tipo de mídia exagerada que é feita por alguns sites notícias, jornais ou tele-jornais e meios de comunicação (principalmente alguns jornais “globais”) recebe o nome de “Hack Porn”.

Hack Porn nada mais é do que a divulgação em massa de incríveis técnicas hackers, mas que provavelmente nunca será um ataque que vai afetar a maioria da população.

Claro que existem casos raros que afetam uma determinada quantidade da população mas ainda sim, não afetam todos e/ou afetam usuários que ainda não se atualizaram, que foi o caso do vírus WannaCry, de 2017.

Este vírus afetou milhões de usuários do Windows em todo mundo, a mídia fez um alarde gigantesco, porém as pessoas que foram afetadas eram usuários que utilizavam e/ou utilizam Windows XP e Windows 7. Ou seja, usuários do Windows 8 e Windows 10 estavam tranquilos.

E recentemente, a Microsoft liberou uma atualização para o Windows XP e Windows 7 por conta de uma ameaça detectada pela empresa sobre algo parecido com o WannaCry.

Entendo que as mídias fazem de tudo para atrair a atenção de seus leitores, mas creio que os jornalistas poderiam dar mais detalhes sobre determinada informação. Se especializar, pesquisar, porém tomar as decisões corretas, explicar, no caso do Whatsapp, que usuários comuns não foram afetados.

Nós da mídia especializada, sabemos que falar de Whatsapp rende visualizações, retorno, visitações. Mas, acreditamos que passar a real notícia, faz com seu leitor dê mais valor e credibilidade no site que distribui determinada informação.

Outro caso, não chegou a ser um vírus, mas uma grande má informação, foi o caso da Momo, onde um vídeo que se espalhou, incentivava a criança cometer suicídio.

Vários veículos de comunicação noticiando que o vídeo estava no Youtube Kids, quando na verdade, não estava.

Até a Google, proprietária do Youtube, veio a público explicar o caso. Claro que o conteúdo do vídeo é grave, sim, mas não estava publicado no Youtube Kids.

O que é esta falha do Whatsapp que estão divulgando?

A falha foi a seguinte, existe um sistema que, quando invadido em um computador ou smartphone, coleta informações do usuário, acessa câmera, microfone do aparelho e envia estas informações para o desenvolvedor. E este sistema é chamado de Spyware.

No caso, a empresa que desenvolveu este Spyware foi a israelense NSO, que fornece tecnologia de espionagem para governos em todo mundo para combater crimes.

A NSO Groups se aproveitou desta falha no aplicativo, onde, ao fazer uma chamada via Whatsapp (independente de ser atendida ou não) era possível enviar este spyware para os usuários que a empresa desejava investigar.

Esta falha foi grave?

Esta falha de segurança foi gravíssima. Afinal ter uma brecha desta, em uma simples chamada pelo Whatsapp é realmente grave. Tanto que a única indicação do smartphone ter sido invadido é uma chamada perdida, muitas vezes, posteriormente excluída do registro de chamadas.

Mas, não afetou você que neste momento esta em seu trabalho, sua casa, em sua pausa para o café ou almoço, ou jantar, em seu transporte, que está em seu momento de lazer com seu parceiro(a) ou amigos ou família (se você tiver fazer lendo esta matéria em seu momento de lazer…VAI VIVER, larga este celular, daí quando estiver sozinho(a) você volta e continua.)

Enfim, este Spyware não vai afetar você usuário comum. A menos que você seja, como dissemos no começo, um cientista nuclear ou um espião do governo ou, neste caso, um advogado de direitos humanos.

Um Spyware deste nível leva muito tempo para ser desenvolvido e não iriam perder tempo para desenvolver algo para grande massa. Eles precisam ser certeiros e eficazes em seus objetivos e além de tudo, não podem ser descobertos.

Esse ataque não foi sobre vigilância em massa, ele foi usado contra pessoas altamente visadas“, disse Alan Woodward, professor de ciência da computação da Universidade de Surrey. “O custo provável e os riscos para os que implementam essa exploração significam que eles a teriam usado apenas em alvos muito seletivos“, disse ele.

Você que está lendo esta matéria saiba de uma coisa, nenhum sistema é 100% seguro, porém você que gosta de redes sociais, Whatsapp, deve executar algumas tarefas e uma delas é manter seus dispositivos SEMPRE atualizados.

O problema ja foi resolvido?

Sim. a vulnerabilidade do aplicativo foi encontrada nas seguintes versão, segundo o site The Verge:

  • WhatsApp para Android antes de v2.19.134
  • WhatsApp Business para Android antes de v2.19.44
  • WhatsApp para iOS antes da v2.19.51
  • WhatsApp Business para iOS antes da v2.19.51
  • WhatsApp para Windows Phone antes da v2.18.348
  • WhatsApp para Tizen antes de v2.18.15

Segundo o site TechCrunch, o dono do WhatsApp, o Facebook, disse que detectou o hack e lançou uma correção para as lojas de aplicativos na noite do dia 13/05. Se mesmo assim, esta informação te preocupa? Então, vá até a loja de aplicativos de seu smartphone e atualize seu Whatsapp.

Previna-se de roubo de dados acessando esta matéria que ensina 7 dicas de segurança para seus dados não serem roubados.

Siga o Dica App do Dia em nossas redes sociais e também nos agregadores de notícias Flipboard e Google Notícias

Dica App do Dia

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Entre com seu nome aqui