Finalmente os participantes da edição do BBB 21 foi confirmada em uma mega live realizada no site do GShow e assim como Tiago Liefert prometeu o jogo já começou antes do Play.

E para isso você já pode votar no site do do GShow para dar imunidade aquele participante que mais gostou durante as apresentações realizadas na live.

Não conhece os participantes? Calma, só rolar para baixo que temos as principais descrições de cada um.

O jogo assim como no ano passado, no BBB 20, haverá o Grupo Camarote, dos famosos, e o Grupo Pipoca dos anônimos.

Leia Também: Saiba como e onde assistir ao BBB 21 clicando aqui.

O Grupo Camarote do BBB21 é formado por:

Fiuk – IC – @fiuk

‘Não sei se algo já mexeu tanto comigo como o convite para o BBB’, revela o ator e cantor

Secretamente, Fiuk sempre acalentou o desejo de um dia entrar no Big Brother Brasil. Como um telespectador comum, se imaginava nas provas, se envolvia com as histórias e sofria com os Paredões. Mas sempre achou que a ideia fosse algo muito distante. “Cuidado com o que você deseja”, brinca o participante do grupo Camarote, do BBB21.

Dos 30 anos recém-completados, o ator, cantor, empresário e piloto de Drift passou metade desse tempo exposto aos holofotes. Reservado, sempre fez questão de manter o lado pessoal bem longe da vida pública.

Desde que aceitou o convite do programa, Fiuk vem se preparando para a batalha de autoconhecimento que irá travar durante o reality: “Sou muito fechado e muito tímido. Atuar sempre me ajudou nesse sentido, me destravou até na minha vida pessoal. Sou muito ansioso, muito sentimental, extremamente sensível. Aqui fora, seguro a onda, mas sou muito inseguro em alguns momentos. Isso é muito desafiador”.

“Não sei o que vai acontecer, mas é por isso que eu digo ‘sim’. É um desafio pessoal e para a minha carreira. Não sei se algo já mexeu tanto comigo como o convite para o BBB. Chego a ficar emocionado”, completa Fiuk.

A decisão pegou de surpresa até mesmo seus familiares. O pai, o cantor Fábio Jr., por exemplo, precisou de um tempo para se acostumar com a ideia de ver o filho na casa mais vigiada do Brasil. Para contar a novidade, Fiuk pediu ajuda à irmã, a atriz e cantora Cleo. Ela ficou radiante com a novidade do irmão.

“Eu sabia que ela ia ficar feliz, ia abraçar a causa, mas não sabia que ela ia gostar tanto. No dia que contei para o meu pai, pedi para ela contar junto comigo. Sabia que se ela estivesse comigo, ele ia entender. Ela foi a pessoa certa nesse momento”, lembra ele.

“Já para o meu pai foi uma surpresa. Por mais que finja que não, ele é muito coruja: assiste à novela inteira que eu faço, escuta tudo. Ele vai ficar grudado na telinha me assistindo.”

Conciliador, Fiuk aposta em sua sensibilidade para levar o prêmio. “Estou entrando só porque tem espaço para o coração”, avisa. Apesar de preferir resolver as coisas na conversa, o galã de ‘A Força do Querer’ não é do tipo que foge de conflito, mas seleciona bem as brigas que vai comprar.

“Entro para a luta quando vale a pena. Gosto de fazer amizade, de ser amigo. Mas eu estou ligado que muita gente vai comprar briga comigo. Vai ser difícil ficar quieto, fingir que não ouvi. Quer dizer, no começo, vou tentar fingir que não ouvi muitas coisas, mas quero ver qual vai ser meu limite”, assume.

O artista revela que fica desestabilizado diante de mentiras e que sua sinceridade costuma assustar as pessoas que o rodeiam: “Sou muito transparente. Às vezes é meio chocante, falo umas verdades sem pensar. É que a verdade me atrai. Por pior que ela seja. E as pessoas estranham um pouco.”

Mas a pergunta que todo mundo quer saber é: Fiuk vai entrar na casa solteiro? “Sim. Vou entrar inteiro no BBB. É muito louco, não sei muito o que dizer sobre isso. Mas a melhor coisa a fazer nesse momento de autoconhecimento é entrar solteiro e me entregar.”

Viih Tube – IG @viihtube

Aos 20 anos, Vitória Moraes, atriz e youtuber, soma mais de 39 milhões de seguidores em suas plataformas digitais

“Isso é um surto pra mim. Gente, o que eu tô fazendo aqui?”. É assim que Viih Tube reage a cada pergunta em relação à vida dentro do Big Brother Brasil. Aos 20 anos, a youtuber e atriz, que soma mais de 39 milhões de seguidores nas suas redes e plataformas digitais, está confirmada no Grupo Camarote do BBB21.

“Não sei por que eles me seguem. Acho que gostam de mim por eu ser sincera, muito aberta e falar sobre o que me dá vontade. Com certeza, se eu não os tivesse comigo, seria muito mais difícil”, declara Vitória, sobre seus fãs. Com um canal de vídeos criado em 2013, ela começou a se aventurar no universo da internet aos 12 anos, fazendo vídeos sobre o seu dia a dia. Nos últimos anos, além de compartilhar parte de sua vida, Viih Tube também escreve e atua em webséries voltadas para o público teen.

“Como eu comecei bem nova na internet, passei por muita coisa. Acho que as polêmicas, o que você fala e depois se arrepende, são as partes mais difíceis. Porque nem sempre as pessoas vão te entender, nem querer te ouvir.”

Vitória passou por diferentes fases da vida diante dos olhos do público e acredita que o que viveu teve um papel muito importante no seu processo de crescimento, inclusive os momentos mais duros: “Tudo o que eu passei me fez uma mulher mais forte, me amadureceu muito.”

Para ela, a experiência do confinamento no BBB representa a oportunidade de uma conquista pessoal: “Um dos meus maiores objetivos é superar os meus medos. Eu sou um pouco insegura por causa de tudo o que eu já passei na internet… E chega, sabe? O BBB vai me ajudar a mostrar quem eu sou, um outro lado meu. Eu realmente espero conseguir sentir algo único lá dentro”.

E será que a ficha de que ela é uma das sisters do BBB21 já caiu? Viih Tube diz que só vai acreditar mesmo que tudo isso é real no momento em que passar pela porta da casa mais vigiada do Brasil, mas já consegue se imaginar vivendo algumas situações do jogo:

“Quero fazer amigos lá dentro e curtir muito as festas. Eu sou um pouco competitiva e vou me esforçar muito. Até porque, se eu for a primeira a sair em uma Prova de Resistência, acho que a minha mãe me mata de vergonha”, conta, aos risos. Bem ligada à família, Vitória mora com o namorado, Bruno Magri, que também é influenciador digital.

“A gente é muito colado, se entende demais. É óbvio que eu vou sentir muita falta dele lá dentro, mas vai dar tudo certo. Ele confia em mim e eu confio nele”.

A ansiedade é grande por esse novo capítulo na história de Vitória que, aos 20 anos, já tem uma longa lista de realizações pessoais e profissionais: “A minha vontade de vivenciar isso é muito maior do que qualquer coisa”, afirma.

Rodolfo – IG @irodolffo

Rodolffo é ex-marido de Rafa Kalimann, cantor sertanejo, que faz dupla com Israel, tem 32 anos de idade, 25 anos de carreira e mora em Goiás

Ao entrar na casa do BBB, no próximo dia 25, o cantor sertanejo Rodolffo, de 32 anos, vai realizar um dos maiores sonhos de sua vida. Fã do Big Brother Brasil, o goiano acompanha tudo sobre a casa mais vigiada do país desde a terceira edição, que teve seu conterrâneo Dhomini como campeão.

Rodolffo é parceiro de Israel em uma dupla sertaneja que começou quando ambos tinham apenas 7 anos de idade. Com 25 anos de carreira, vários discos lançados e fãs espalhados por todo o Brasil, o goiano comemora a chance de participar do reality.

“Estou realizando um sonho gigantesco. Sempre fui espectador do programa, payperviewzeiro desde as antigas e tinha muita vontade e curiosidade de participar. Já virei várias noites assistindo às festas”, conta.

O cantor acredita que participar do reality seja seu maior desafio profissional e pessoal até hoje. Mas engana-se quem acha que ele não irá disputar o prêmio de R$ 1,5 milhão por já ser um cantor bem-sucedido.

“Estou muito animado com o convite. É uma grande responsabilidade, talvez a maior da minha vida. Estou com sangue nos olhos e com certeza eu quero ganhar esse prêmio. Já passei muito cheque pré-datado no Brasil inteiro e com certeza vou lutar muito pelo prêmio. E acho que vou ser um bom jogador. Gosto de observar o comportamento humano”, explica

Virginiano, Rodolffo se diz metódico, mas um ‘cara leve’, que não gosta de arrumar confusão sem motivo. O cantor sertanejo afirma que um de seus maiores defeitos é ser muito sincero e confessa estar na expectativa para uma das dinâmicas do jogo.

“O que pode me irritar é a desorganização e o descompromisso com as regras da casa. Farei o possível para cumpri-las. E estou ansioso para o Jogo da Discórdia. Já vi muita gente ‘pipocar’ e, se eu tiver motivo, vou falar mesmo. Sou um cara bem sincero. Talvez seja uma qualidade e até defeito, pois gosto de ser franco com minhas opiniões. Nem sempre as pessoas ouvem o que querem ouvir e sim o que devem ouvir”, afirma.

Com mais de 4,6 milhões de seguidores nas redes sociais dele e da dupla sertaneja, o cantor costuma ser muito cobiçado pelas mulheres. Ele afirma que sua vida amorosa sempre atraiu as atenções do público, mas que seu casamento com a ex-participante do BBB20 Rafa Kalimann foi o momento em que mais fofocas surgiram.

O casal assinou o divórcio em 2020, mas segue como amigos. E, inclusive, ele conta com Rafa como conselheira já que ela tem experiência em BBB.

“A vez que mais falaram da minha vida amorosa foi no meu relacionamento com a Rafa. Foi muito comentado durante e até depois. Temos até fã-clube do casal. Somos amigos desde que nos separamos. Na época que ela entrou ela me contou. Temos essa reciprocidade. É uma pessoa de confiança, que participou de partes muito importantes da minha vida. Devo até pegar umas dicas com ela”, brinca.

Nego Di – IG @negodioficial

“Não vou passar por cima dos meus princípios. O que mais pesa é ser honesto com os meus sentimentos e valores lá dentro”

Sua carreira começou com uma brincadeira em um aplicativo de troca de mensagens. Ele foi pioneiro nesse tipo de criação de conteúdo classificado como WhatsApper.

Seus áudios, que misturam improvisos e histórias que acontecem com ele, viralizaram e Nego Di se tornou humorista real oficial. O gaúcho, de 26 anos, tem ainda mais uma conquista em sua carreira: o BBB21. Desde que aceitou participar do confinamento, ficou tão ansioso, que agora passa as noites em claro.

“Não consigo dormir direito há algumas semanas, sonhando com o BBB. É um grande marco na minha vida, vou começar a viver os melhores anos da minha vida a partir dali. Estou muito feliz, tenho muita coisa para mostrar, é uma grande oportunidade.”

Há alguns anos, Nego Di já desejava ser um dos participantes do Big Brother Brasil e se inscreveu para o programa. Quem diria que, anos depois, entraria na casa, no grupo Camarote: “Cheguei a me inscrever em 2016, achava que naquele momento estava pronto, porque eu mais precisava do que queria. Estava com o sonho de ser artista e precisava de um impulso, mas eu não estava pronto.”

Um dos grandes propósitos que o fez aceitar o confinamento é o prêmio de R$ 1,5 milhão. Competitivo e focado, o humorista planeja um futuro melhor para o filho Tyler, de 5 anos, e quer ajudar a mãe.

“Hoje, meu foco é dar uma infância diferente da minha para meu filho. Comecei a trabalhar cedo, com 12 anos, era bem esclarecido, tinha pressa de crescer rápido para ajudar a minha mãe. Se eu ganhar, quero investir num projeto para ajudar jovens a se transformarem em artistas, investir no futuro do meu filho e ajudar a minha mãe.”

O personagem Nego Di surgiu em 2016, porém, o artista já havia percebido sua vocação para o humor na escola. Após sofrer bullying, o participante do BBB21 começou a criar formas de se defender. Anotava observações sobre os colegas de escola e decorava para quando precisasse revidar.

“Estudei numa escola em que era o único negro por muito tempo e existia o bullying. Em determinado momento, cansei. Comecei a revidar os apelidos para pararem de fazer isso comigo. Tinha uma ideia, anotava e começava a decorar. Tinha coisas na ponta da língua e também vinham coisas da minha cabeça, a criatividade começou ali.”

Após ter seus áudios espalhados em diversos grupos de mensagem, Nego Di criou um canal de vídeo e foi convidado para fazer um stand up: “Aconteceu por necessidade, foi um tiro no escuro. Os humoristas organizavam uma noite e cada um fazia 10 a 15 minutos. Fui fazer o show e fui superbem, não acreditavam que tinha sido minha primeira vez.”

Lucas Penteado – IG @lucaskokapenteado

Ator, que interpretou Fio em Malhação, tem 24 anos e participou das ocupações estudantis de São Paulo

“Então, eu vou mandando improvisado, pra quem não me conhece, sou o Lucas Koka Penteado”. De riso grande e fácil, com uma mente rápida, percorrendo muitas rimas, Lucas é um dos confirmados no Grupo Camarote do BBB21. Aos 24 anos e dono de um currículo extenso – ele é ator, cantor, poeta, MC, slammer, apresentador, diretor e dramaturgo –, o morador do bairro do Bixiga, em São Paulo, encontrou na arte a sua paixão: “Não me vejo trabalhando com nada que não seja ligado a isso”.

Da criança aficionada por Harry Potter, que decorava as falas dos filmes para tentar fazer igual, até o jovem que interpretou Fio em Malhação – Viva a Diferença, temporada vencedora de um Prêmio Emmy Internacional Kids, o caminho foi longo, mas acompanhado de perto por duas figuras muito importantes.

“Minha mãe e meu pai são sempre os guias. Ela é a minha melhor amiga e acreditou em mim desde o começo. Ele sempre ficou em cima para que eu estudasse e é meu verdadeiro herói. O meu maior sonho era fazê-los pararem de trabalhar e hoje isso se tornou realidade”, conta Lucas, com um olhar de admiração.

Ao falar do BBB e da mudança que o programa pode representar na sua vida e, principalmente, na vida de seus pais, a emoção bate forte. É que o destino do prêmio de R$ 1,5 milhão já está traçado: “O principal, para mim, é comprar a casa da minha mãe”. E só a menção a esta possibilidade já faz Lucas cair no choro.

“Significa muito comprar uma casa para ela não ter que viver de aluguel nunca mais”, explica, enquanto seca as lágrimas.

Perseverante e sempre indo atrás do que acredita, ele conta que carrega uma espécie de slogan para encarar seus dias: “Tenho uma crença de que a vida não é apenas sobrevivência. A gente precisa ter acessibilidade a entretenimento, arte, esporte e cultura em geral”. As questões sociais, inclusive, fazem parte de sua luta há muitos anos. Em 2015 ele era presidente do grêmio de uma escola pública em São Paulo e foi uma das vozes ativas durante as ocupações estudantis que marcaram aquele ano.

Além da experiência inesquecível vivida ao lado dos companheiros de luta, o movimento trouxe algumas mudanças pessoais. Lucas foi um dos jovens acompanhados pelo documentário Espero Tua (Re)volta, disponível no Globoplay, que ganhou prêmios fora do Brasil. Também foi durante as ocupações que ele descobriu o que era slam – batalhas de poesia falada – e encontrou mais um caminho para expressar sua paixão pelas rimas.

“Escrevi minha primeira poesia e, na época, foi avassaladora. Eram palavras que eu precisava falar e precisava me ouvir falando. Era sobre a minha mãe, o sistema social, a desigualdade de gênero e a falta de acessibilidade das mulheres para terem seus filhos”.

Dentro do reality, ele acredita que um dos motivos que pode tirá-lo do sério é a deslegitimação da necessidade de movimentos sociais: “Eu nasci na periferia. A tentativa de me tirar do sério vem desde que eu nasci, na escola, na rua, no trabalho… Eu não vou ofender, mas vou falar sério e alto se for preciso, caso uma pessoa fale de vitimismo ou racismo inverso. Deslegitimar a luta étnico racial é ser racista, então a pessoa vai ouvir a desconstrução”.

Carol Diaz – IG @carladiaz

30 anos de idade, 28 anos de carreira, tatuou a expressão repetida por Khadija, sua personagem mais marcante.

  • Começou a carreira artística aos 2 anos de idade na publicidade e fez mais de 300 comerciais
  • Aos 4 anos, fez a primeira participação em uma novela, mas o trabalho que alavancou sua carreira de atriz mirim foi em ‘Chiquititas’, folhetim exibido no SBT, nos anos 90
  • Foi alfabetizada em espanhol, uma vez que morou durante três anos na Argentina para gravar a trama infantil
  • Em homenagem à personagem de sucesso Khadija, que interpretou na novela ‘O Clone’, da Globo, tatuou na costela a expressão “Inshallah”, escrita em alfabeto árabe. Em português, significa “Se Deus quiser”
  • Seu pai é uruguaio, mora em Montevidéu, e desde o início da pandemia eles não se encontram, mas têm uma relação muito próxima
  • No ano passado, levou um susto ao descobrir um nódulo maligno na tireoide. Fez cirurgia, está curada e diz que a maior lição que tirou é viver intensamente, dando mais atenção ao hoje do que aos planos para o futuro
  • Como a tireoide tem formato de borboleta, ela se apegou a este ‘símbolo’ e gravou um documentário em um borboletário sobre essa experiência
  • Tem 1,53m de altura
  • Está solteira e aberta para conhecer novas pessoas
  • Atualmente, está no ar na tela da Globo em duas novelas em fases bem diferentes da sua vida. Em ‘Laços de Família’, no Vale a Pena Ver de Novo, atuando como Rachel, aos 10 anos de idade, e na edição especial de ‘A Força do Querer’, como a sedutora Carine, que fez aos 27.

Karol Konká – IG @karolconka

Já que é pra tombar, ela tombou! Karol Conká aceitou o desafio de entrar no Big Brother Brasil 21 – programa que ela nunca imaginou que um dia fosse participar – com a intenção de absorver novas experiências e se conectar com pessoas. Assim que recebeu o convite, ficou chocada e mudou de opinião três vezes.

“Quando recebi o convite, dei um grito. A primeira coisa que passou foi: ‘não, nem vá’. A segunda foi: ‘’não tem como você ir, capaz que você vai’. E a terceira: ‘você vai, isso é um presente’. Nunca me vi na casa, sempre assisti, mas nunca me imaginei. Cheguei a falar já que nunca entraria no BBB e mordi minha língua!”, revela.

Focada em levar R$ 1,5 milhão pra casa, a cantora e apresentadora, que está solteira, não tem planos de pegar ninguém lá dentro, mas está com medo de morder a língua.

Dona de um discurso forte sobre empoderamento feminino e contra o preconceito, Karol usa sua visibilidade para falar sobre a diversidade. Na infância, o preconceito que sofreu serviu de força para ser o que ela é hoje: “Consegui reverter a dor do preconceito em solução, em poder, por isso falo muito sobre empoderamento. Houve um tempo em que me tiraram isso, aprendi a ser mais. Eu canto tanto sobre a diversidade, sobre respeitar as diferenças.”

A capricorniana, com ascendente em Áries e lua em Virgem, preza pela rotina e organização, quando o assunto é trabalho: “Minha rotina é uma loucura! Acordo cedo todos os dias e vou para o meu escritório. Trabalho por 12 horas, depois gosto de ficar com o meu filho assistindo às séries que ele escolhe. Essa é a rotina de uma capricorniana que gosta de trabalhar. Minha rotina é toda cheia de toque, odeio desorganização”.

Pocah – IG @pocah

Observadora e competitiva, cantora está disposta a tudo para chegar à final: ‘O que tiver que ser feito, eu vou fazer’

“Sou muito competitiva. Se tiver um objetivo na cabeça, eu vou até o fim”. É com esse pensamento que Pocah, participante do grupo Camarote, pretende superar todos os obstáculos que atravessarem seu caminho para levar o prêmio do BBB21.

Além de sua força de vontade, a cantora, de 26 anos, espera contar com uma ajuda do destino para alcançar seu objetivo: “Vai que a sorte está comigo. Vai estar, né? Pelo amor de Deus! Sorte, não me abandona, não”.

Desde que iniciou a carreira de cantora há uma década, a artista teve raros dias de descanso, mas não reclama: “Eu busquei isso e me divirto trabalhando”.

A jovem, que nasceu em Queimados e foi criada em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, nunca havia cogitado a possibilidade de aceitar um convite para o reality:

“Assisti a todas as edições do BBB. Sempre imaginei o que eu faria se estivesse numa prova, em um Paredão. Sendo bem sincera, nunca imaginei que realmente poderia entrar. Achava que não teria psicológico, mas quando veio a oportunidade eu não pensei duas vezes. Eu até estranhei. Topei sem pensar na hipótese de recusar.”

Observadora e analítica, Pocah não pensou em nenhuma estratégia para entrar na casa, mas assume que não vê a hora de formar um grupo para proteger e ser protegida: “Eu tenho que entrar, sentir a casa e as pessoas. Não adianta ir com o jogo pronto, não funciona assim”.

“Vou fazer muita amizade com quem eu me conectar. Espero ter a sorte de encontrar pessoas com quem eu possa contar e possam contar comigo também. Já quero ter meus BFFs lá dentro”, avisa.

Leal, a funkeira é do tipo que toma as dores dos seus aliados, mesmo que isso acabe a prejudicando, e não pretende agir diferente só porque está sendo filmada 24 horas por dia: “Vai ter momentos em que eu vou estar quieta no meu canto, pensando, analisando. E vai ter momentos em que eu vou ter que botar a boca no trombone, senão eu explodo”.

Camila de Lucas – IG @camilladelucas

Explodiu na internet durante a pandemia e recebeu elogios de Regina Casé. Confira as curiosidades sobre a influenciadora, de 26 anos, de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro

  • Começou a criar conteúdos para internet em 2017, mas foi em 2020, durante a pandemia, que seus vídeos divertidos bombaram e fizeram da jovem um fenômeno da quarentena;
  • Tem mais de 7 milhões de seguidores ao todo em suas quatro redes sociais;
  • Estudava contabilidade e, até pouco tempo, trabalhava em uma imobiliária;
  • Decidiu morar sozinha durante a pandemia, mas o namorado fica de segunda a sexta-feira no apartamento com ela;
  • Namora há um ano e meio e diz, bem-humorada, que está esperando o pedido de casamento: “Meu estado civil é esperando no Senhor o pedido de casamento. Já não aquento mais olhar para essa aliança de prata, quero colocar uma de ouro aqui. Quero casar!”;
  • Gosta de cada dia estar com um cabelo diferente e, para isso, usa várias laces e perucas;
  • Recebeu vários elogios de Regina Casé, nas redes sociais: “Ela tem uma das qualidades que eu mais admiro numa atriz, que é a observação do outro nos mínimos detalhes… Obrigada, Camilla de Lucas, por me matar de dar risada”;
  • No último Natal, deu um carro zero para o pai, fruto de seu trabalho com publicidades na internet;
  • Acredita que um defeito seu seja a forma de falar, que, às vezes, a faz parecer ser grossa, sem ter essa intenção;
  • Brinca que tem 26 anos com carinha de 15, porque não tem harmonização facial.

Projota – IG @projota

Cantor e rapper vê grande oportunidade para a carreira e diz que vai sentir falta da filha, da esposa e do videogame

Aos 34 anos, o cantor e rapper paulista José Tiago Sabino Pereira, o Projota, está em uma das melhores fases de sua vida. O participante do BBB21 é um grande nome do rap nacional na atualidade e já cantou no Rock in Rio, nas Olimpíadas do Rio, em 2016, e tem mais de 2 bilhões de visualizações de suas músicas nas redes sociais. Em casa, encontrou a paz que tanto procurava em 2020, quando nasceu Marieva, primeira filha do cantor com Tâmara.

Para coroar a fase brilhante, o artista celebra uma nova oportunidade profissional: a participação no BBB. Fã do reality, Projota já se apresentou três vezes no programa: a primeira no BBB17, a grande final do BBB18 e em um show no BBB20.

“Este convite é a porta de entrada para os sonhos que hoje eu tenho. Ainda tem muita gente que não me conhece tão a fundo. Mas agora não vai ter jeito. Vou chegar na casa deles pela porta da frente todas as noites e falar: ‘Oi, eu estou aqui e meu nome é Projota. Eu canto um rap e faço um monte de coisa e espero que você goste’”, conta.

O cantor vive um momento mágico em sua vida, mas nem sempre foi assim. O “moleque de vila”, como se intitula em uma de suas canções, perdeu a mãe aos 7 anos, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC).

“Passava muita dificuldade, principalmente depois de perder minha mãe. O mundo desmoronou na minha casa. Logo na sequência meu pai perdeu o emprego. Passamos por uma barra. Não foi fácil, mas eu era muito feliz”, conta.

A carreira também demorou a emplacar. O rapper gravou um DVD independente e vendia um por um no fim dos shows por R$ 5. Mal imaginava que venderia milhares de cópias e ganharia DVD de ouro antes mesmo de fechar com uma gravadora. Ele também lembra, com emoção, a primeira vez em que uma música sua tocou na rádio:

“Quando eu ouvi a primeira vez, eu chorei para caramba. Não acreditava que era possível colocar uma música para tocar no rádio. Acho que hoje já tenho umas 15. Sou bem chorão. Choro muito de emoção, com momentos felizes e marcantes.”

Muito competitivo, Projota diz que odeia perder, principalmente no videogame. Para ele, a parte mais difícil do confinamento será ficar longe da filha, Marieva, que completa 1 ano em fevereiro.

“Vou sentir muita falta de casa, da minha família, da minha esposa e da minha filha. Esses dias, olhei para ela e comecei a chorar. A minha família é o maior projeto da minha carreira. Alegria que nenhum disco de ouro, show ou prêmio me trouxe. Mas vou sentir falta do meu videogame também”, diz.

O cantor explica que tem um lado estressado, que se contrapõe ao jeito tímido e pacato, mas que seu jeito o fez alcançar muitas de suas conquistas.

“Sou típico ariano, quero as coisas do meu jeito, mas também sou bem de boa, tranquilo e calmo, na minha. Sou tímido, mais pacato. Só fico bravo quando é preciso.”

Projota ainda explica que até vai tentar conter as emoções para se manter mais calmo no jogo, mas que não irá conseguir fingir dentro da casa algo diferente do que é de verdade.

“São mais de três meses. Se ficar atuando e tentar esconder algo que é seu, você não vai aguentar. Estou indo lá para as pessoas me conhecerem, para chegar à final. É o meu grande objetivo. Se eu puder ganhar, vai ser muito louco. Seria um sonho, fantástico”, conclui.

O Grupo Pipoca do BBB 21 é formado por:

Sarah – IG @sarah_andrade

Brasiliense diz que é comunicativa e dramática; e espera fazer amigos para permanecer no jogo.

A brasiliense Sarah, de 29 anos, começa o ano disposta a viver um sonho de princesa, como ela mesmo define. A nova participante do BBB21 trabalha como consultora de marketing digital e vê no reality uma oportunidade para aparecer e viver todos os planos que tinha para 2020, e que acabaram frustrados por conta da pandemia.

Isso porque, no início do ano passado, Sarah pediu demissão do emprego para trabalhar em Mônaco, com eventos esportivos. No entanto, a expectativa virou decepção por conta da quarentena. Com a doença se espalhando pelo mundo e interrompendo as competições, o contrato de Sarah foi cancelado.

“A minha vida saiu muito do controle. Eu estava com ela organizada, sabendo o que ia acontecer no meu futuro profissional e, de repente, um banho de água fria. Fiquei muito perdida”, afirma a brasiliense.

A loira se define como expansiva e comunicativa e diz que é muito raro ter alguém que não goste dela. Para Sarah, ter amigos ao seu lado é fundamental, tanto dentro quanto fora da casa do BBB. Ela acredita que a proximidade com outras pessoas pode ser determinante na luta pelo R$ 1,5 milhão.

“Gosto de ter amigos e aliados. Sempre achei que na vida a gente não consegue nada sozinho. Gosto de construir uma rede. É muito importante manter pessoas aliadas pelo máximo de tempo que conseguirmos no jogo”, reflete.

Aos 19 anos, a consultora de marketing morou em Los Angeles para aprender inglês. Anos depois, retornou para lá para fazer MBA e trabalhou em várias funções: motorista de aplicativo, babá, figuração em TV e até mesmo assessora de alguns influencers. A profissão rendeu momentos marcantes, como conhecer famosos, como Chris Brown, e participar de uma festa na casa de Leonardo DiCaprio.

“Vivi um sonho, no verdadeiro estilo Hollywood, conhecendo famosos e frequentando festas de gente poderosa da cidade”, conta Sarah.

Gilberto – IG @gilnogueiraofc

Doutorando em Economia, ele diz ter um perfil único e que vai ficar ‘arretado’ se tiverem ‘plantas’ na edição: ‘Todo mundo tem que entrar no jogo’

“Sou autêntico, sincero, honesto, não tenho medo de me expor, nem de me posicionar. Sou um perfil único. Quando alguém falar de BBB21, vai falar de mim”. Participante do grupo Pipoca do BBB21, Gilberto, de 29 anos, que é doutorando em Economia, aprendeu muito cedo que não poderia desperdiçar nenhuma oportunidade: “A vida me fez estar sempre atento”.

Nascido em Jaboatão e criado em Paulista, o pernambucano Gilberto é de origem humilde, e sempre foi incentivado pela mãe a estudar para conseguir mudar seu destino. Aplicado, conseguiu entrar na universidade e não esmoreceu diante de uma realidade difícil. “Era puxado: três ônibus para ir e três para voltar. Mas valeu a pena”, afirma, ao lembrar que, nessa época, dormia apenas três horas por noite.

Atualmente, Gilberto faz doutorado em Economia na UFPE, onde pesquisa a relação entre a ação do Estado e o nível de violência cometido dentro do mercado de drogas. “Meu pai teve relação com as drogas. Sofri isso na pele e quero, de alguma forma, contribuir”, explica. O pernambucano ainda aguarda o resultado de provas para iniciar seu PhD nos Estados Unidos: “Dá para pegar o R$ 1,5 milhão e ir embora”.

Durante boa parte de seus 29 anos, só dividia o foco nos estudos com a dedicação à igreja. Aos 10 anos, se tornou mórmon, por influência da mãe. Ao se descobrir homossexual, trocou a faculdade para investir na carreira de missionário. Durante dois anos, visitou áreas nobres e a periferia de São Paulo. Ao retornar da missão, resolveu suas questões pessoais, voltou a estudar e aprendeu que, além de oportunidades, não poderia perder tempo com a opinião alheia.

“Durante o período em que estava muito firme na igreja, tentava agradar as pessoas. Hoje, sei que eu sou bom e descobri que sou a minha melhor versão sendo sincero”, afirma.

Sem tempo para se dedicar a uma pessoa aqui fora, espera encontrar alguém para se relacionar no confinamento, mas reconhece que uma paixão no reality pode atrapalhar seus planos de chegar à Final.

“Sou canceriano, me apaixono (…) Nunca namorei homem, mas estou querendo muito. Só que ninguém me quer. Está difícil. Como estudo muito, os homens não têm paciência, porque não passo dar atenção o dia inteiro”, argumenta.

Competitivo, Gilberto assume que não sabe lidar com a derrota e que não quer ver “plantas” na temporada: “Fico arretado com o povo que passa na seletiva, com tanta gente querendo entrar, e chega no Jogo da Discórdia e dá uma de doido. Todo mundo tem que entrar no jogo e se expor”.

Seus alvos no jogo não serão seus desafetos, mas, sim, os participantes que evitam conflitos para não se queimar com o público: “Se eu brigar feio com alguém, não vou indicar aquela pessoa. Porque vai ter um ali bonzinho que, metade do jogo passou, a gente que se ferrou e, quando você vai ver, a pessoa derrubou todo mundo”.

Para ficar o tempo que for preciso no reality, Gilberto pretende formar um grupo e combinar votos:

“No programa, vale tudo. Você escolhe a ação, mas não escolhe a consequência. Tem gente que ganha um programa em um dia. É um negócio que você fez que você ganha ou perde”. E ele está disposto a arriscar alto. “Vou fazer valer a pena essa oportunidade, não vai ser perdida”, promete.

Lumena – IG @lumena.aleluia

Soteropolitana de 29 anos é formada em psicologia e DJ de pagodão baiano

Desde sempre, Lumena escutou da mãe: “Se você estudar e trabalhar, vai vencer na vida”. E, por muito tempo, a baiana, natural de Salvador, se dedicou a uma carreira acadêmica. Formada aos 21 anos em Psicologia e com mestrado na área, foi só nos últimos tempos que ela se permitiu encontrar novos caminhos. Hoje, aos 29, se prepara para mais uma experiência que promete mudar a sua vida: está confirmada no Grupo Pipoca do BBB21.

“A academia é um espaço que me nutre muito internamente. Mas, ao mesmo tempo, tenho entendido que deixei por muito tempo de escanteio esse flerte que tenho com a arte e com o entretenimento em prol de uma jornada mais acadêmica”, conta.

Atualmente, sua principal fonte de renda vem da pesquisa e escrita de roteiros para o audiovisual, além da descoberta de uma paixão que, segundo ela, mais recentemente vem se legitimando como uma identidade profissional: a discotecagem de pagodão baiano.

A conexão com esse lado musical surgiu da saudade de casa. Recém-formada, Lumena se mudou para o Rio de Janeiro, onde fez residência e trabalhou no SUS: “Passei dois anos atendendo mulheres vítimas de violência doméstica, com histórico de uso abusivo de álcool e outras drogas, e refugiadas. Foram demandas significativas a nível de aprendizado e construção identitária como psicóloga”. Mas sozinha numa nova cidade, sem muitas redes de afeto, a falta da sua terra começou a bater forte e despertar novos interesses.

“Primeiro veio a gastronomia e aprendi a fazer acarajé e moqueca. Depois, veio a sonoridade. Comprei equipamentos de DJ na impulsividade, que ficaram por um tempo engavetados. Até que comecei uma pesquisa e bati firme no pagodão, que era o que me nutria nesse rolê com o território soteropolitano”, explica.

O que começou como um hobby foi se tornando um novo caminho de carreira durante a pandemia, com lives nas redes sociais. Este período também foi decisivo na relação com a namorada, Fernanda:

“A pandemia casou a gente. Ela é sensacional e temos uma relação fechada e monogâmica, que está fazendo muito sentido em termos de companheirismo e projeto de vida familiar”.

Entre as razões para se jogar no desafio de habitar a casa mais vigiada do Brasil, está a busca pelo prêmio como uma forma de ajudar na construção dessa nova família ao lado da namorada.

“O BBB chega neste momento da minha vida em que me autorizo a viver coisas que são de fato significativas no meu processo de amadurecimento e evolução pessoal”, reflete a baiana.

Dentro do reality, ela pretende encontrar novas versões de si mesma e promete: “Quero descobrir as outras Lumenas que ainda não descobri. Em meio a essa jornada, eu reconheço uma capacidade que tenho de me adaptar e me reinventar. É a Lumena que vai se materializar lá dentro e que vai ganhar o BBB”.

Juliette – IG @juliette.freire

“Na lei da selva, eu sou treinada”. Juliette, participante do Grupo Pipoca no BBB21, não se intimida fácil. 

Com quatro irmãos mais velhos, a advogada e maquiadora, de 31 anos, que abriu mão da Medicina para se formar em Direito, começou a “engrossar o caldo” cedo para tentar sobreviver e fazer valer seus desejos: “Ou eu me impunha ou não ia acontecer”. Astuta, levou o mandamento doméstico para a vida. “Tenho cara de dondoca, frágil, mas ninguém imagina a força que tenho”, ressalta.

Enquanto estuda para realizar o sonho de tornar-se delegada, se sustenta com um hobby que virou profissão: a maquiagem. “Ganho muito mais maquiando do que advogando. De segunda à sexta, eu estudo para concurso, e atendo aos finais de semana ou com horário agendado”, explica.

Há um ano, era sócia de um estúdio com quatro amigas, onde fazia seus trabalhos com mais conforto. Com a pandemia, os clientes minguaram e o quarteto precisou fechar as portas. Paralelamente a isso, surgiu a possibilidade de entrar no BBB. Um desejo antigo que se tornou realidade:

“Não tenho um plano traçado do que vou fazer, mas acho que posso mandar muito bem. Sou muito plural, sei entrar e sair de todos os lugares”.

Festeira, afirma ser sempre a mais animada do rolê. Juliette está solteira e aberta a conhecer novas pessoas, mas não se vê engatando um relacionamento sério no confinamento. “Não sei se vou fazer casal, mas paquerar eu vou”, avisa.

Tagarela, Juliette é do tipo de pessoa que te ganha na conversa. Decidida e bem resolvida, a paraibana de Campina Grande, que mora em João Pessoa, também não costuma “engolir” sapos.

“Gosto de lavar roupa suja. Não espero um dia para resolver uma coisa porque senão não durmo. Fico agoniada, ansiosa querendo resolver. Sempre faço DR”, assume.

O motivo de nunca deixar uma pendência para o dia seguinte tem explicação em uma tragédia pessoal. Quando tinha 19 anos, perdeu uma irmã, de 17 anos, vítima de um AVC hemorrágico. Desde então, passou a ter uma noção de finitude muito aguçada:

“Eu assumo o risco de viver. Era uma pessoa antes dela morrer e outra depois. É como se sentisse que minha vida é breve e eu preciso fazer o que posso para aproveitá-la. Seja lutando pelo que quero na vida ou em um jogo”.

Justa e corajosa, a jovem, filha de um mecânico e uma cabeleireira, é direta e boa de embate, mas gostaria de ser uma mulher mais misteriosa: “O que poderia me prejudicar no BBB é que falo muito, sou muito palhaça. Pode ser que eu fale uma besteira ou magoe alguém com a minha ironia”.

Kerline – IG @kercardoso

Modelo e influenciadora acha que pode enfrentar resistência do time feminino e não descarta um romance no reality

“Vale tudo por R$ 1,5 milhão? Depois de 2020, acho que vale”. Participante do Grupo Pipoca, no BBB21, Kerline se reinventou e se redescobriu durante a pandemia. Após superar o fim de um relacionamento de dois anos e se tornar a provedora da família, a cearense aproveitou o momento para transformar seu plano B em plano A e passou por um processo de transformação total: “A quarentena me salvou, criei uma maturidade que não tinha”.

Empreendedora nata, a loira teve que abrir mão do sonho de ter uma empresa para gerenciar a carreira de influenciadores após cair em um golpe e contrair uma dívida. Para pagar as contas de casa, usou todo o seu conhecimento de mercado para atuar no ramo e conseguir uma boa projeção regional como criadora de conteúdo digital.

“Tive que me virar. Minha vida mudou completamente em um ano. Meu padrasto e minha mãe perderam o emprego, vendi meu carro, mas estou indo bem com 56 mil seguidores. Em Fortaleza, consigo tirar leite de pedra com o que tenho”.

Atualmente, a modelo e influenciadora só aceita trabalhar por permuta caso a marca possa lhe projetar no mercado. “Passei a levar proposta para marcas, comecei fazendo shooting em casa e várias influenciadoras me imitaram”, revela.

Prestes a entrar no BBB, Kerline, de 28 anos, sabe que não vai agradar todo mundo. Direta, ela é do tipo que não faz média com ninguém e reconhece que, por vezes, sua sinceridade pode machucar o outro.

“Sou atrevida, espontânea e autêntica. Senti, pensei, falei. Não sou cautelosa, não fico medindo as coisas”, define-se.

Competitiva, tem raciocínio rápido e revela ter dupla personalidade: “Tem a Kerline good vibes, divertida e que gosta de aventura. E a outra que é completamente surtada”.

Solteira, não descarta um romance no reality, mas preocupa-se com a intensidade com a qual vive suas relações: “É minha maior qualidade e meu pior defeito. Ou sofro muito, ou estou muito feliz. Sou emocionada, eternamente apaixonada”.

Caio – IG @afiune_caio

Fazendeiro, fã do Programa está animado com o BBB 21

Quem bate um papo com Caio por alguns minutos, logo descobre que, por trás do cara que fala com firmeza e de personalidade, segundo ele, um pouco forte, tem um paizão que se derrete pelas duas filhas e um jovem fazendeiro apaixonado pelo campo.

Ele conta que desde criança acompanhou o trabalho do pai e sabia que era esse o caminho que queria seguir. Agora que o pai se aposentou, Caio está à frente da fazenda que tem lavoura de soja e milho, em Anápolis, no interior de Goiás.

Aos 32 anos e pai de duas meninas, Alice, de 6 anos, e Manuella, de 10 meses, Caio muda o tom ao falar sobre elas. “A minha relação com elas, graças a Deus, é fantástica. Tudo o que faço na minha vida é pensando nas minhas meninas.

Sou doido por elas e pela minha esposa”, entrega o fazendeiro, que vive com a noiva, Walleria, a filha caçula do casal, e a filha mais velha, fruto de um relacionamento anterior dele.

Questionado se é um cara fiel, Caio, de pronto, responde: “Com essa sempre. Vai fazer cinco anos e com ela sempre fui, meu CPF está limpinho”. E ainda avisa: “Uma coisa que eu não vou fazer nunca na vida é decepcionar a minha esposa. E se alguma mulher for dar em cima de mim, vai ficar ruim para ela”.

Realizado na vida pessoal, o novo brother confessa que tem vontade de ser famoso, mas entra no BBB21 para jogar. Fã do programa, ele já se inscreveu duas vezes e acompanhou várias edições. E já tem uma ideia de como quer agir lá dentro.

Arthur – IG @arthurpicoli

Instrutor de crossfit e ex-jogador de futebol diz que é competitivo e não gosta de perder nem no videogame

O instrutor de crossfit, Arthur, um dos participantes do BBB21, é um competidor nato. Ex-jogador de futebol, o capixaba de 26 anos conta que não gosta de perder nem no videogame, muito menos em um jogo valendo R$ 1,5 milhão.

Nascido em uma família fanática por futebol, Arthur saiu de casa aos 14 anos para tentar a vida no esporte. Jogou nas categorias de base do Atlético Goianiense e da Ponte Preta, mas sem grande sucesso.

Apesar de não ter subido para o profissional, Arthur conta que sempre se destacou pela vontade e pela liderança.

Com lesões recorrentes, abandonou o futebol e começou a trabalhar em diversas profissões, antes de se encontrar na faculdade de Educação Física.

Em 2016, a beleza do capixaba chamou tanto a atenção, que ele foi convidado a participar do concurso Mister Espírito Santo e conquistou o título. Ainda se classificou para o Mister Brasil do mesmo ano, ocupando a sétima colocação.

Criado pelos pais com a presença das duas irmãs, Arthur revela que a mãe sempre o ensinou como deveria tratar as mulheres:

“Tive sempre a figura feminina muito presente na minha vida e minha mãe falava: não faça com outras meninas o que não quer que façam com sua irmã.”

O capixaba afirma que é canceriano e extremamente amoroso, mas que muitas vezes as paixões acabam rápido:

“Sou até trouxa. Azar no jogo, azar no amor e sorte no azar. Isso me define um pouquinho. Eu não procuro o problema, mas ele me procura. Sou um pouco intenso, mas na mesma velocidade que eu me entrego é muito fácil também eu não querer saber da pessoa.”

Apesar de se definir como um cara tranquilo e de fácil convivência, Arthur afirma que alguns pontos podem desequilibrá-lo durante a convivência no BBB21:

“Sou 8 ou 80. Sou muito tranquilo, de boa. Mas questão de comida me tira do sério. E não gosto de covardia, de preconceito. Além disso, tudo tem um limite. Não gosto de ser influenciado, sou um pouco impulsivo. Tenho minha opinião, gosto de saber o que eu vou falar. E se eu sei que estou certo, vou até o final. Se eu precisar combinar voto para me defender ou defender alguém que eu gosto, não vejo problema algum.”

João Luiz – IG @joaolpedrosa

É festeiro e tem uma calopsita e duas chinchilas. Confira as curiosidades sobre o professor de geografia de 24 anos, morador de Minas Gerais

  • É festeiro e promove o evento JL Day (Dia do João Luiz) todos os anos no seu aniversário. Segundo ele, uma noite divertida de jogos e gincanas
  • Tem uma calopsita e duas chinchilas
  • Na pandemia, aprendeu a gravar e editar aulas para os alunos
  • Atualmente, se dedica ao hobby de construir uma casa dos sonhos – uma espécie de maquete de uma casa
  • Adora fazer e comer doce
  • É comunicativo, acredita que fala e se expressa bem;
  • Prefere balada à piscina
  • Gosta de sair para fotografar
  • Manda cartinha para os alunos no final de cada atividade
  • Tem boas habilidades manuais.

Acrebiano – IG bilaraujjo

Modelo e educador físico conta o que o tira do sério: bagunça e receber ordens

Seu nome é Arcrebiano, mas pode chamá-lo de Bil. “Meu nome é muito difícil. Quando as pessoas perguntam, eu já falo Bil. Porque para falar o meu nome é todo um processo”, explica o capixaba, de 29 anos, que entra no BBB21 no Grupo Pipoca.

O nome exótico, na verdade, resulta de um erro do cartório na hora de registrar a certidão de nascimento. “Era pra ser Clebiano Araújo, mas meu pai foi me registrar e na hora de pronunciar, talvez o cara tenha escutado e digitado de forma errada. Por isso, ficou Arcrebiano. Só a minha mãe me chama de Clebiano”, explica.

O apelido Bil surgiu aos 11 anos, ideia de um amigo que não se acostumava com a pronúncia do nome. “Aí pegou, todo mundo só me chama de Bil”.

Modelo e professor de crossfit, o novo brother também investe na bolsa de valores, atividade que se intensificou durante a pandemia, já que suas duas principais fontes de renda foram bastante afetadas.

“Tiro minha sobrevivência de lá também. Perdi um mês e agora estou recuperando”, conta ele sobre as aplicações que faz apenas com seu próprio dinheiro.

Solteiro há um ano, ele afirma receber muitas cantadas pelas redes sociais e estar acostumado em ser abordado por mulheres. Mas entrega que nem sempre foi assim. “Tive poucas namoradas. O mundo virou, né? Eu era feio demais quando era mais novo. Hoje, o feedback é outro. Não deram valor lá atrás, agora vamos ver como é que vai ser”.

Thais – IG @thaisfbraz

Cirurgiã-dentista, de 27 anos, vive as festas como se fossem a última da sua vida e entra focada no prêmio

Thaís foi criada pela família para se casar e ter filho aos 25 anos, porém seu rumo foi completamente diferente do que os pais desejavam. Aos 27 anos, a cirurgiã-dentista, moradora de Goiás, acaba de se tornar participante do BBB21, no grupo Pipoca. Intensa, ela gosta de se sentir viva e quer ter experiências diferentes.

“Penso fora da caixinha da minha família. Minha vontade é conhecer o mundo, viver experiências. A vida é muito linda e o mundo muito grande para me prender em alguma coisa. Gosto de criar, de viajar. Adoro me sentir viva! Me sinto viva tomando decisão, me arriscando.”

Quem entra nas redes sociais de Thaís percebe que atender pacientes em um consultório não é sua única profissão. Ela conta que também é modelo, DJ e produtora: “Gosto da sensação de devolver o sorriso da pessoa, mas não me vejo o resto da vida ali, sentada no consultório entre quatro paredes. Gosto muito das outras profissões em que me aventuro.”

Sobre sua personalidade, os pais falam que ela vive no “fantástico mundo da Thaís”. Normalmente, ela é meiga e sorridente, mas às vezes acorda de mau humor e não quer ver ninguém:

“Geralmente, eu tô simpática, com um sorriso no rosto, acordo cantando, a felicidade sempre transborda. Tem dias que acordo mal, monossilábica e fico mais na minha. Quando estou nesse modo, não tem motivo, mas prefiro me afastar para não machucar as pessoas que eu gosto. Juro que tenho um bom coração.”

Quando fez faculdade de Odontologia, foi morar sozinha em Brasília. Após se formar, voltou a morar com os pais e a viver sob as regras deles: “Engordei 4 quilos com a comida da mamãe. Tive que voltar a dar satisfação, os estresses que não tinha mais. Quando eu chegava no final de semana, era só saudade. Agora, com a convivência, minha mãe gosta de mandar em mim e eu não gosto.”

Solteira, Thaís conta que ainda não encontrou um amor que a fizesse parar e viver um relacionamento. “Gosto de balada, se estou na balada, é a última da minha vida. Vivo muito. Quando estou triste, vou pra fossa, escuto sertanejo, vou pra sofrência.”

Antes do BBB21, se inscreveu na 18ª edição, mas avalia que não foi muito bem durante o processo de seleção. Hoje, se sente mais preparada para viver o confinamento: “Não consegui passar o que eu sou, travei. Eu amadurei, vivi 10 anos em dois. Foi quando comecei a ter uma ação na minha vida, a trabalhar, ganhar meu dinheiro e a me entender mais”, diz.

E agora entra focada no prêmio:

“Não vou perder essa chance. É a chance do dinheiro, quero sair da pindaíba. Vai ajudar muito a realizar meus sonhos, investir numa marca de biquíni e ajudar meus pais.”

E ai, Gostou? Deixe nos comentários, compartilhe nas redes sociais.

Leia Também: Saiba como e onde assistir ao BBB 21 clicando aqui.

Siga Dica App do Dia no Instagram - https://www.instagram.com/dicaappdodia/

Siga o Dica App do Dia em nossas redes sociais e também nos agregadores de notícias Flipboard e Google Notícias.

via: GShow

Deixe uma resposta