Após o acidente da Ethiopian Airlines envolvendo uma aeronave Max 8 que matou 157 pessoas no início de março – e que os investigadores dizem ter “semelhanças claras” com o acidente da Lion Air no ano passado – a empresa anunciou que aterraria todos os seus 737 Max 8 e Max 9 modelos.

A Boeing informou que a suspensão foi aplicada em sua frota global de jatos 737 Max, totalizando 371.

Mas, após o anúncio da Boeing no início deste mês, que planejava lançar uma série de atualizações em seu treinamento operacional e os jatos 737 Max até o mês que vem, o Wall Street Journal informou que essas mudanças foram “provisoriamente” em sinal verde pelos funcionários da Administração Federal de Aviação Americana (FAA).

Porém, mais verificações e testes em solo serão necessários antes da implantação.

Saiba tudo sobre plano de vôos com o app FlightRadar.

Citando fontes do governo familiarizadas com o assunto, o jornal informou neste sábado que uma atualização de software esperada para o recurso de Sistema de Aumento de Características de Manobra da Boeing (MCAS) na aeronave 737 Max tornará o sistema anti-stall “menos agressivo e mais controlável pelos pilotos“.

Diário:

As modificações, disseram os oficiais, criam um recurso de stall-prevention mais suave, redesenhado para não sobrecarregar os comandos de outros cockpits ou falhas de ignição com base em leituras erradas de um único sensor. É planejado para empurrar o nariz automaticamente para baixo apenas uma vez – por não mais de 10 segundos – se a aeronave estiver em risco de travar e perder a sustentação.

Citação do Wall Street Journal

Também faz parte das mudanças futuras previstas a melhor formação para a tripulação que opera os aviões, o Journal informou que envolverá cursos de computação interativos, bem como mais informações sobre como a função MCAS funciona e como desativá-la. As mudanças podem chegar nas próximas semanas, disse o jornal.

Um porta-voz da FAA disse ao Washington Post em comunicado que “espera que o software seja atualizado no começo da próxima semana e vamos avaliar isso no momento.

Os jatos Boeing 737 Max estão aterrados no Aeroporto Internacional Sky Harbor, quinta-feira, 14 de março de 2019, em Phoenix. Foto: Matt York
Os jatos Boeing 737 Max estão aterrados no Aeroporto Internacional Sky Harbor, quinta-feira, 14 de março de 2019, em Phoenix. Foto: Matt York

A Boeing informou em um comunicado à imprensa em 11 de março que estava trabalhando com a FAA em treinamento aprimorado e uma atualização de software envolvendo o recurso MCAS que seria lançado “no máximo em abril”.

Investigadores vêm trabalhando até que ponto uma falha no software estava envolvida no acidente da Lion Air que matou 189 pessoas em outubro.

O presidente-executivo, presidente e CEO da Boeing, Dennis Muilenburg, disse em um comunicado na época que, embora tenha mantido “total confiança” na segurança do modelo, a suspensão foi emitida “com muita cautela”.

A segurança é um valor central na Boeing enquanto construímos aviões; E isso sempre será. Não há maior prioridade para nossa empresa e para nossa indústria ”, disse Muilenburg.

Estamos fazendo tudo o que podemos para entender a causa dos acidentes em parceria com os investigadores, implantar melhorias de segurança e ajudar a garantir que isso não aconteça novamente”.

Via Gizmodo

Siga o Dica App do Dia nas redes sociais – os links estão abaixo – e também no agregador de notícias Flipboard.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Entre com seu nome aqui