Google Doodle de hoje, 08/04, celebra os 189 anos de José Álvares de Azevedo que recebeu o título de Patrono da Educação dos Cegos no Brasil, sendo o criador da primeira escola para cegos no país.

Seu aniversário também é o Dia Nacional do Braille.

Onde nasceu José Álvares de Azevedo?

José Azevedo nasceu neste dia em 1834, no Rio de Janeiro.

Ele nasceu cego e era conhecido por ser extremamente inteligente e curioso quando criança – ele investigava o mundo ao seu redor através do toque.

Sua família o encaminhou para o Royal Institute of Blind Young People (Real dos Jovens Cegos) em Paris, a única escola na época especializada em educação para cegos, dos 10 aos 16 anos.

Azevedo frequentou a escola em uma época em que experimentava o recém-introduzido sistema de escrita Braille.

Voltou ao Brasil em 1850 inspirado por dois objetivos:

  • Defender a inclusão social dos cegos em seu país
  • Criar uma escola muito parecida com a que estudou em Paris.

Como José Álvares de Azevedo ficou conhecido?

Além da inteligência, José teve a sorte de estar no lugar e na época certos para adquirir um conhecimento que iria ampliar enormemente os seus horizontes: o sistema de leitura e escrita inventado pelo francês Louis Braille e que estava em fase de experimentação no Instituto de Paris. 

José Álvares de Azevedo deu palestras sobre a importância de educar os cegos e contou como os ensinavam onde quer que pudesse, desde em casas de família até na Corte Imperial.

José Álvares de Azevedo: Imagem ilustração.

Para alcançar o seu objetivo, José passou a fazer palestras em todos os lugares  possíveis, como casas de família e os salões da Corte Imperial. 

Escreveu e publicou também artigos sobre a importância do braille para a educação dos cegos brasileiros, até então condenados ao analfabetismo e a uma vida de total isolamento social. 

Dava a si mesmo como exemplo de como a inclusão não só era possível como relativamente fácil, desde que fossem dados os meios para educar essas pessoas.

Mais do que isso: José Álvares de Azevedo, com apenas 16 anos de idade, passou a trabalhar incansavelmente para ensinar o sistema a outros cegos, tornando-se não só a primeira pessoa cega a atuar como professor, como também o primeiro professor especializado no ensino de cegos no Brasil.

E foi como professor que ele teve a oportunidade de  se aproximar da única pessoa com poder suficiente para transformar seu sonho em realidade: o Imperador D. Pedro II.

Ele também ensinou seus companheiros brasileiros cegos a ler e escrever em Braille, dentre suas alunas era filha do médico da Corte Imperial.

O médico, impressionado com o desenvolvimento da filha, organizou uma audiência com o imperador brasileiro.

José Azevedo fez uma apresentação emocionante, quebrando preconceitos e mostrando o que uma pessoa com deficiência visual pode alcançar.

Quais os resultados do trabalho de José Álvares de Azevedo

Recebeu recursos para abrir a primeira escola para cegos do país, o Imperial Instituto dos Meninos Cegos.

Álvares de Azevedo participou intensamente das providências iniciais e decisivas para a fundação da escola, mas não chegou a ver seu sonho ser realizado –  no dia 17 de março de 1854,  seis meses antes da inauguração, o jovem morreu, vítima de tuberculose, aos 20 anos de idade.  

Por sua imensa contribuição para a inclusão social da pessoa cega brasileira,  José Álvares de Azevedo recebeu o título de  “Patrono da Educação dos Cegos no Brasil” e o dia do seu nascimento, 8 de abril, foi declarado oficialmente Dia Nacional do Braille.

Hoje, a escola continua seu programa educacional como Instituto Benjamin Constant e expandiu sua grade para incluir educação física, aulas de teatro, autocuidado e orientação para a vida diária e muito mais.

Parabéns, José Álvares de Azevedo!

Siga o Dica App do Dia em nossas redes sociais e também nos agregadores de notícias Flipboard e Google Notícias.

Deixe uma resposta