Paulette Nardal é a homenageada de hoje pelo Google Doodle, ilustrado por Jessica Coppet, artista convidada baseada na Holanda, em Amsterdã, comemora o 125º aniversário da autora martinica Paulette Nardal.

Ela é amplamente considerada uma das fundadoras do Négritude, um movimento intelectual produzido por artistas e escritores negros que se uniram em solidariedade para defender sua herança cultural e conquistar espaço no mundo literário predominante para vozes negras.

Nascida neste dia em 1896 em Saint-Pierre, uma cidade colonial francesa na ilha caribenha da Martinica, Félix Jeanne Paulette Nardal era filha de um dos primeiros engenheiros negros da Martinica no Departamento de Obras Públicas.

Nardal seguiu o exemplo e estabeleceu um legado pioneiro quando chegou a Paris em 1920 e se tornou a primeira mulher negra da Martinica a se matricular na prestigiosa universidade da cidade, La Sorbonne, obtendo um mestrado em inglês.

Na década de 1920, membros da comunidade negra francesa, muitos deles imigrantes das Índias Ocidentais como Nardal, muitas vezes enfrentaram intensa discriminação racial.

Paulette Nardal e sua irmã Jane abriram um salão de Paris chamado Le Salon de Clamart em 1929 como um ponto de encontro intelectual para refletir sobre a condição negra.

Conhecido por sua hospitalidade e elegância, o salão bem equipado permitiu a Nardal reunir intelectuais para conversas e apoio mútuo.

Paulette Nardal – Image: Ilustração

Os estudiosos consideram este salão o berço do movimento Négritude, que Nardal ajudou a iniciar escrevendo artigos de comentário social na revista “La Revue du monde noir” (“The Review of the Black World”).

Outro momento significativo de sua vida ocorreu no início da Segunda Guerra Mundial.

Nardal deixou a Martinica e foi para a França, mas sofreu vários ferimentos ao longo da viagem quando um submarino atacou seu navio.

Sua demanda para que a França a reconheça como uma vítima de guerra civil e sobrevivente destaca a convergência de raça, gênero, deficiência e cidadania.

Este evento acabou inspirando Nardal a estabelecer organizações e jornais encorajando mulheres educadas a canalizar suas energias para a melhoria social e o sufrágio.

Nardal ganhou destaque por meio de seus escritos e promoveu uma comunidade internacional de mulheres negras que quebraram barreiras de raça, classe e status educacional.

Em reconhecimento ao seu trabalho unificador, Nardal foi eleita delegada para as Nações Unidas em 1946 e foi premiada com o título de Knight of the Legion of Honour – trad, Cavaleira da Legião de Honra – em 1976, a maior honraria da nação.

Há o Promenade Jane-et-Paulette Nardal localizado na 100 rue Didot em Paris, e uma placa homenageia o legado de Nardal no subúrbio parisiense de Clamart, onde seu salão catalisou um movimento internacional.

Feliz Aniversário, Paulette Nardal!

Siga o Dica App do Dia em nossas redes sociais e também nos agregadores de notícias Flipboard e Google Notícias.

Deixe uma resposta