Os gastos com publicidade digital nos Estados Unidos ultrapassaram US$ 100 bilhões pela primeira vez no ano passado, segundo o último relatório de publicidade na Internet do Interactive Advertising Bureau e da PricewaterhouseCoopers.

Especificamente, o gasto doméstico total chegou a US$ 107,5 bilhões, um aumento de 22% em relação a 2017.

A publicidade móvel se tornou cada vez mais dominante, crescendo 40% ano a ano, para US$ 69,9 bilhões. E os gastos com anúncios em vídeo cresceram 37%, para US$ 16,3 bilhões.

Sue Hogan, vice-presidente sênior de pesquisa e medição do IAB, disse que, no passado, o gasto com anúncios para dispositivos móveis ficou para trás do tempo gasto nesses dispositivos. 

Mas agora, ela disse: “Essa paridade está quase chegando. Globos oculares estão sendo seguidos por dólares”.

O parceiro da PwC, David Silverman, reconheceu que isso leva a um acompanhamento óbvio: uma vez que os dólares dos anúncios alcançam a atenção do consumidor, o crescimento será lento? 

Na opinião de Silverman, “a indústria encontrou formas de evoluir” no passado, e será novamente.

Há outras mudanças que estão ocorrendo agora“, acrescentou, apontando para o crescimento da publicidade em áudio digital (até 23%, para US$ 2,3 bilhões), além de outras áreas como publicidade fora de casa e anúncios para novos dispositivos.

Uma das preocupações recorrentes sobre o setor de anúncios digitais é seu domínio pelo Facebook e pelo Google. 

Embora o relatório do IAB não separe empresas específicas, ele mede a concentração em termos de quanto os gastos estão indo para os 10 principais vendedores de anúncios. 

Em 2018, esses vendedores cobraram 77% do total de gastos – o IAB diz que a porcentagem oscilou entre 69% e 77% na última década.

Quanto ao efeito do GDPR e de outras normas de privacidade, Silverman disse: “Certamente terá um impacto significativo, particularmente no uso de dados e da inteligência artificial, tornando os anúncios mais relevantes e mais eficazes” – mas ele sugeriu que é cedo demais para dizer qual será o impacto financeiro.

O IAB (que é um grupo comercial que representa anunciantes e editores on-line) vem defendendo a regulamentação federal, em vez de uma abordagem de estado por estado.

Espero que não cheguemos ao ponto em que isso se torne uma pressão na indústria“, disse ela. “Eu acho que mais e mais educação é necessária em torno disso.”

Via TechCrunch

Siga o Dica App do dia em suas redes sociais que estão no link abaixo, e também estamos no Google Notícias e Flipboard.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário
Entre com seu nome aqui