A Microsoft trabalhará para melhorar a vida dos afro-americanos pressionando por um sistema de justiça melhor, concentrando-se em suas próprias contratações, doando fundos para grupos que lidam com a desigualdade racial e comprando de fornecedores mais diversos, disse a chefe-executiva Satya Nadella em um e-mail para todos os funcionários a empresa publicou sexta-feira. 

E Nadella está olhando mais de perto suas próprias atitudes e comportamento, disse ele.

Devo continuar minha jornada de compreensão e empatia e examinar as ações que tomo, ou não tomo, todos os dias. Ouvir e aprender com meus colegas negros e afro-americanos está me ajudando a desenvolver uma melhor compreensão de sua experiência. E assumo a responsabilidade para meu próprio aprendizado contínuo sobre as realidades de privilégio, desigualdade e raça e modelar o comportamento que quero ver no mundo “, disse Nadella no email.

Vários executivos de tecnologia estão tentando se posicionar contra o racismo após a morte de George Floyd, um homem negro de 46 anos de Minnesota que morreu no mês passado depois que um policial branco o prendeu no chão com um joelho no pescoço. 

Um espectador gravou um vídeo dos momentos finais de Floyd, que provocaram protestos nos Estados Unidos.

O CEO da Apple, Tim Cook, e o CEO do Google, Sundar Pichai, também fizeram declarações pessoais após a morte de Floyd  e em meio aos protestos resultantes e às muitas vezes fortes respostas da polícia a eles. 

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, também se manifestou contra o racismo, mas alguns funcionários do Facebook estão protestando contra o tratamento relativamente gentil do Facebook das postagens do presidente Donald Trump.

Em seu e-mail, Nadella disse que a Microsoft é:

Para termos permissão para pedir que o mundo mude, precisamos mudar primeiro“, disse Nadella.

O email de Nadella segue declarações anteriores, incluindo o tweet de Nadella contra o ódio e o racismo e a Microsoft destacando as vozes de seus próprios funcionários .

Siga o Dica App do Dia em nossas redes sociais e também nos agregadores de notícias Flipboard e Google Notícias

Deixe uma resposta