A Black Friday 2020 é o grande dia, porém, este ano de 2020 ela já começou em várias lojas desde o inicio do mês de novembro, mas afinal de contas é seguro comprar nesta época do ano?

O que significa Black Friday?

Segundo o site https://www.blackfriday.com.br/ a tradução de Black Friday é: “Sexta-feira Negra“. Na prática ela tem o significado da maior data de ofertas do Brasil!

A origem exata ninguém sabe dizer ao certo, há quem diga que a expressão nasceu no final do século XIX após duas instituições financeiras terem quebrado no mesmo dia em plena corrida do ouro. Coincidentemente, em uma sexta-feira.

Outra teoria conhecida é que o termo foi criado por policiais da Filadélfia na década de 60 para se referir ao dia após o feriado do Dia de Ação de Graças em que o trânsito se tornou um caos. Graças a isso, surgiu então uma grande oportunidade de venda para os lojistas que se aproveitavam disso e faziam diversas promoções para atrair quem passasse por lá.

No Brasil, a Black Friday chegou em 2011 com o portal Busca Descontos, e desde então cresce exponencialmente, batendo recorde de vendas ano a ano.

Diferentemente dos Estados Unidos, a Black Friday no Brasil começou como um evento exclusivamente online que passou para o varejo físico e atualmente atinge desde o pequeno até o grande varejista.

Como comprar com segurança nesta Black Friday

1- Evite aglomerações, afinal estamos passando por uma pandemia.

Apesar da tentação de sair gastando na Black Friday, não é necessário que as pessoas se aglomerem para realizar suas compras.

Segundo Pedro Aurélio Queiroz, diretor do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) ele dá a seguinte sugestão “O consumidor deve evitar aglomerações. Se for o caso, o melhor é fazer as compras online para evitar contato social“. Portanto faça compras ou pelo site ou por aplicativos que a varejista oferece.

2- Verifique se o site é de confiança

Tome muito cuidado no endereço que você está acessando tanto por celular, tablet, computador ou notebook.

Neste período, crimes cibernéticos aumentam consideravelmente fazedo de tudo para enganar os consumidores, portanto, preste atenção no link que está acessando.

Verifique se o endereço que está acessando na barra de endereço está correto, as vezes o link que foi acessado está faltando uma letra, por exemplo.

http://www.magazineluza.com.br/” este endereço não está completo faltando a letra “i” em magazineluiza. Outra coisa, sempre prefira acessar sites que possuam certificado se segurança, No exemplo acima o “http’ aparece sem a letra S. reparem no endereço oficial da loja Magazine Luiza

https://www.magazineluiza.com.br/

O endereço possui as iniciais httpS e o nome está completamente correto em seu domínio.

Baixe somente aplicativos das lojas oficiais de seu smartphone ou tablet.

3- Cuidado com as redes sociais e e-mails

Um dos tipos de golpe mais comum na internet é o chamado “phishing“- o golpista envia uma mensagem se passando por uma loja, por exemplo, e induzindo a pessoa a entregar seus dados na hora de comprar um “produto”.

A pessoa acha que está preenchendo um cadastro quando, na verdade, está fornecendo dados a fraudadores. Os links para esse tipo de golpe geralmente são enviados em e-mails, redes sociais ou até mesmo SMS.

4- Não compre em lojas que aparecem na lista do Procon

Além de checar a segurança do site da loja, evite comprar em empresas que aparecem na lista do Procon-SP.

A instituição mantém a lista desde o ano de 2012 e atualiza os nomes periodicamente. Ela reúne lojas online que tiveram reclamações, foram notificadas mas não responderam ou que seus responsáveis nem foram encontrados

São mais de 200 lojas (algumas já estão fora do ar); confira a lista aqui: Evite esses Sites.

5- Veja a reputação da loja que deseja comprar.

Sites como o Consumidor.gov.br e o Reclame Aqui são recursos importantes para investigar a reputação da loja, o nível de qualidade do serviço e também a postura da empresa ao se relacionar com clientes que, por ventura, tiveram algum problema.

6- Cuidado com as “Promoções Milagrosas”

Pacote de viagem para Europa a R$100,00, PlayStation 5 a R$ 125,00. Desconfie quando a oferta for muito abaixo do mercado – especialmente no caso de eletrônicos, que são o grande chamariz da Black Friday.

Sites fraudulentos costumam dar grande ênfase aos preços quase absurdos para atrair clicks – por isso, fique de olho em ofertas boas demais para serem verdade.

7- Antes de fechar a compra online preste atenção no preço final.

Algumas lojas mostram em destaque uma super promoção, mas quando a compra é efetuada, o valor a ser pago aparece sem o desconto promocional.

Apesar de ser um caso de infração aos Direitos do Consumidor, você pode ter muito trabalho para ter seu dinheiro de volta. Portanto, antes de confirmar a compra, lembre de conferir se o preço final é o mesmo da oferta.

E fique atento ao preço do produto. É comum que uma compra de R$ 200 vire uma compra de R$ 215, e o motivo é o valor do frete, que é adicionado no final. 

Para não ter nenhuma confusão, veja com atenção o valor do frete e do produto. Se tudo estiver em ordem, pode seguir com a compra, porém, se houver alteração no valor, abra uma reclamação no Procon do seu estado.

8- Atenção aos boletos enviados por e-mail

Você passa o dia realizando compras de um site para o outro e, em algum momento, você recebe no e-mail um boleto que parece ser do seu último pedido e, sem prestar muita atenção, faz o pagamento. Já viu isso antes?

Se sim, cuidado. Preste atenção se o boleto recebido é de uma compra realmente realizada por você – e não um golpe.

Nessa época do ano, com uma quantidade maior de pessoas pedindo boletos, golpistas tentam enganar as pessoas mandando boletos falsos que se parecem com o de grandes marcas.

9- Não use redes públicas para compras

Redes sem fio de conectividade gratuita, comuns em espaços públicos, são úteis para que você acesse a Internet em caso de necessidade para uso trivial. No entanto, elas devem ser evitadas a todo custo quando você está mexendo com dinheiro e seus dados pessoais, como é o caso do processo de login e pagamento de qualquer produto pela Internet.

Esse tipo de rede de Internet é como uma terra sem lei, onde criminosos podem ficar à espreita monitorando o tráfego de quem acessa a rede. Nesse processo, um hacker pode acabar interceptando sua conexão com a loja ou instituição financeira, para, assim, ter acesso a dados pessoais e bancários. Ao comprar na Black Friday, tenha o cuidado de usar sua rede doméstica, a conexão 4G do celular ou do local de trabalho.

10- Verifique as políticas de troca e cancelamento da loja

As lojas precisam ser claras a respeito de como procedem em situações em que o consumidor se arrepende e deseja trocar ou devolver um produto, obrigação que é determinada na Lei do E-Commerce (7.962/13). Além disso, é bom sempre lembrar que você tem o direito de devolver qualquer produto comprado pela Internet em até 7 dias corridos, contados a partir da entrega.

A maneira como cada site apresenta essas informações pode variar bastante, mas sua presença e acesso fácil são obrigatórios. Não confie em lojas cujo site não mostra essas informações, ou mesmo afirma que não realiza trocas e cancelamentos.

Siga o Dica App do Dia em nossas redes sociais e também nos agregadores de notícias Flipboard e Google Notícias

Deixe uma resposta