Em tempos de pandemia, muito se fala sobre como se manter livre do Coronavírus. Todas as dicas sobre isolamento social, o uso de máscara, luvas, além do famigerado álcool gel, que já ressecou as mãos de quase todo mundo. Pouco se fala, no entanto, sobre a saúde mental das pessoas atualmente.

Como lidar com o afastamento das atividades do dia a dia, enxergar além das 4 paredes de casa, do bate papo com amigos e desconhecidos? E com a falta de exercícios ao ar livre, e tantas outras atividades que envolviam ver gente e espairecer, ter acesso a eventos em comunidade e etc?

Tudo isso fazia muito bem pra cabeça de todos. A maioria das pessoas não se dava conta do quanto era importante sair de casa e ir dar um passeio na pracinha, ou na beira da praia, enquanto tomava um sorvete, bebia uma cervejinha ou ia ao cinema assistir a um filme muito ruim e sair “xingando” o diretor e os atores na sua conta do Twitter.

O lar pode ser muito acolhedor e, ao mesmo tempo, opressor. Pessoas com tendência a depressão devem sempre estar atentos e se lembrar da importância de mantenha-se produtivo neste período, para que pensamentos ruins não dominem o seu dia. Já bastam as péssimas notícias que os telejornais revelam a todo o momento.

De que maneira se deve lidar com tudo isso? A primeira coisa a se aceitar é que cada pessoa tem um jeito diferente de lidar com este momento. Não fique se sentindo diminuída se, por acaso, você não estiver fazendo uma rotina de exercícios, assando toneladas de pão, trabalhando a mil por hora ou lendo 30 livros por semana. Calma!

Em alguma coisa, você vai acabar descontando suas angústias. Tem gente que não para de fazer faxina. Outros encontraram, finalmente, a motivação que necessitavam para realizar aquela limpeza nos armários, jogando metade das coisas no lixo. Outros estão fumando, comendo – ou bebendo – muito além da conta.

Há dicas – muito mais simples do que você poderia imaginar – de fazer o tempo passar, todos os dias, sem precisar gastar muito dinheiro, nem ter alguma habilidade especial para realizá-la. Fique de olho nessas abaixo e tente introduzi-las em sua rotina (esta, sim, é necessária) e na da sua família, que divide este isolamento social com você.

Exercícios físicos

Você odeia? Não tem problema! Se tiver um pouco mais de coragem, imponha-se uma meta de subir e descer as escadas do seu prédio 5, 10, 20 vezes por dia. Se coragem não é a palavra que te define, gaste um pouco das calorias com uma simples tarefa: dance! Aumente o som e se jogue!

Faça uma atividade mental diferente

Comece a escrever um diário, você vai conseguir desabafar, além de exercitar o cérebro. Não curte? Baixe um joguinho que exige raciocínio no seu smartphone. Sudoku, palavras cruzadas, caça-palavras, quebra cabeça. Qualquer um vai te ajudar a manter a mente ativa.

Faça uma atividade em conjunto com a família

Procure uma atividade que agregue a todos – jovens e adultos – e a realize em alguns dias da semana. Pode ser jogar stop (adedonha), Imagem & Ação, desenhar e colorir a mão livre, Banco Imobiliário, War, buraco, canastra, não importa qual. O importante é gastar energia.

Consuma alimentos saudáveis

Que tal uma bela salada de frutas? Fuja dos salgadinhos, doces e biscoitos recheados um pouco.  Procure uma receita natural na internet e saboreie! A cabeça vai funcionar de um jeito diferente e a experiência vai fazer bem pro corpo também. Vale à pena tentar!

Deixe uma resposta